A Língua de Sinais é universal? Saiba mais!

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Uma língua determina uma cultura. Normalmente, em sua construção, a língua sofre a influência de várias outras. O português, por exemplo, teve por base o latim e o grego, embora sigamos aportuguesando expressões de diversas origens. Esse também é o caso da língua brasileira de sinais, a chamada Libras.

A Libras, ao contrário do que se possa imaginar, não é uma língua universal. Ela também não é um conjunto de gestos que serve para traduzir as línguas dos ouvintes. Detalhe importante é que a Libras é um idioma reconhecido por lei no Brasil, contando com estrutura e regras próprias.

Ficou curioso? Hoje, vou falaremos mais sobre a origem da língua de sinais e de sua importância para garantir acessibilidade. Confira a seguir!

Conheça a origem da língua de sinais no Brasil

Os surdos de cada país possuem sua própria língua. É claro que algumas coisas se assemelham, mas as línguas são diferentes e têm suas características específicas. Como a Libras surgiu inspirada na Língua Francesa de Sinais, existem alguns aspectos parecidos, mas cada lugar apresenta sua diversificação.

No Brasil, a língua de sinais ganhou espaço a partir de 1857, ano em que Eduard Huet, a convite de D. Pedro II, fundou a primeira escola para pessoas surdas no país, chamada Imperial Instituto de Surdos Mudos, hoje conhecida por Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES). Com a fundação da escola, os surdos brasileiros criaram a Libras, originada das diferentes formas de comunicação dos surdos de outros locais do país.

Entretanto, mesmo dentro do Brasil, a Libras apresenta variações. O surdo do Nordeste, por exemplo, fala Libras com algumas particularidades diferentes do surdo do Sudeste. Funciona do mesmo jeito que os sotaques na língua portuguesa. O regionalismo está sempre presente!

Libras é a língua materna do surdo brasileiro, reconhecida por lei desde 2002 como língua dos surdos do nosso país. Nos Estados Unidos, é utilizada a Língua Americana de Sinais. Na França, a Língua Francesa de Sinais e por aí vai.

Esse mito da universalidade se originou do preconceito de que Libras seria um código, utilizado pelos surdos em qualquer lugar do mundo. No entanto, a nossa língua de sinais é tão completa quanto qualquer outra língua. Possui estrutura, semântica e sintática próprias. Ah! E determina a cultura surda.

Isso mesmo! O surdo é um brasileiro que percebe e apreende o mundo de outra forma, tendo uma língua diferente da nossa. Embora seja brasileiro, reivindica também uma cultura própria. Por isso, quanto mais se aprende sobre a diversidade de condições e realidades, mais inclusiva e justa torna-se uma sociedade.

Entenda a importância da língua de sinais para promover acessibilidade

Para garantir o direito à acessibilidade, sobretudo no ramo empresarial, é mais que fundamental que gestores e líderes entendam a importância da língua de sinais para a realidade dos colaboradores surdos e, também, dos ouvintes. Mesmo porque muitos dos surdos brasileiros aprenderam primeiro Libras e não conseguem compreender muito bem a estrutura da língua portuguesa.

Sendo assim, oferecer cursos ou, até mesmo, incentivar que os funcionários aprendam pelo menos o básico da Libras é um passo imprescindível para começar a transformar a realidade da acessibilidade dentro da companhia.

Se esses colaboradores se interessarem, poderão fazer um curso completo, como necessário para domínio de qualquer outra língua. Essas medidas garantem, por exemplo, a ampliação da inclusão dos surdos, além de promover, com isso, maior bem-estar no ambiente de trabalho.

Dessa forma, o colaborador se sente mais acolhido para se expressar diante dos colegas, contribuindo, sobretudo, para a melhoria de sua comunicação e para a redução dos conflitos nas equipes. Os ouvintes também têm a chance de ampliar o seu entendimento sobre as possibilidades e capacidades humanas, percebendo diversos potenciais nas pessoas surdas.

Geralmente, os programas de acessibilidade nas empresas servem para incentivar a diversidade, engajando os profissionais internos e externos com uma proposta voltada para atender, da melhor forma, as pessoas surdas. O objetivo, portanto, é fortalecer o relacionamento com as diferentes comunidades nas quais os colaboradores se inserem e interagem.

Descubra como implementar a língua de sinais em sua empresa

A maioria de nós ainda não sabe realmente como lidar com a surdez, com o sujeito surdo. Normalmente ficamos incomodados, constrangidos por não saber falar sua língua. Isso pode ser ainda mais desmotivador para os colaboradores e clientes surdos que dependem da língua de sinais para se expressar.

A acessibilidade comunicacional é considerada, atualmente, uma nova forma de se relacionar — até porque o aumento do número de pessoas que se comunicam em Libras muda a rotina das empresas. Dessa forma, é preciso que as companhias utilizem ferramentas específicas e invistam na capacitação de seu quadro de funcionários.

Por isso mesmo, convidamos você a conhecer a SignumWeb, uma tecnologia assistiva inovadora que foi criada por um surdo, o Felipe Barros, graduando de Tecnologia da Informação da PUC Minas.

O objetivo é intermediar a relação do ouvinte com o surdo e se colocar a serviço da interpretação entre a língua portuguesa e a Libras, intermediando essa relação com o auxílio de profissionais de Libras virtuais e humanos, com qualificação reconhecida pelo MEC.

Nossos serviços acontecem em tempo real. Não há necessidade de agendamento prévio, pois nossas necessidades diárias podem surgir a qualquer momento, não é mesmo? Assim também acontece com os surdos. Sem contar que acessibilidade comunicativa faz bem para todos!

Entender as particularidades da língua de sinais é uma tarefa fundamental para colaboradores, gestores e líderes empresariais. A aproximação com a língua propicia maior acessibilidade comunicacional, permitindo que os surdos sejam, de fato, integrados e compreendidos, ampliando as relações dentro do ambiente de trabalho.

Gostou do conteúdo? Ainda tem dúvidas sobre a língua brasileira de sinais ou sobre como apoiar a inclusão no seu ambiente de trabalho? Deixe o seu comentário!

Posts relacionados

Deixe um comentário