Autonomia para os surdos na vida cotidiana.

5 minutos para ler

Hoje falaremos sobre autonomia para os surdos. Essa é uma palavra que só recentemente começou a se aplicar à vida desses sujeitos, classificados como deficientes auditivos.

Durante séculos os surdos permaneceram às margens da sociedade. Não conseguiam estudar e trabalhar. A menos que fosse uma escolaridade mínima e um trabalho pré definido pelos ouvintes. Para eles estava reservado o subemprego. Frequentemente lhes eram oferecidos os chamados trabalhos manuais. Enfim, atividades repetitivas e mal remuneradas. E no final, isso não gerava a tão desejada autonomia.

Acompanhe o texto e saiba mais sobre esse assunto.

O que significa a palavra autonomia?

Segundo o dicionário, autonomia significa a capacidade de alguém governar-se pelos seus próprios meios. Sendo assim, pode significar também livre arbítrio. Ou o poder que o indivíduo tem de executar suas vontades. Tomar, igualmente, suas próprias decisões.

Essa palavra é composta pelo radical AUTO, de origem grega, que indica algo que faz referência a si próprio. Junto com o sufixo NOMIA, também de origem grega, ela exprime conceitos como normas, regras e leis. Em outras palavras, autonomia significa dizer que alguém está apto a governar-se a si mesmo.

Em síntese, o autônomo é aquele que consegue tomar as rédeas da própria vida. Logo, ele é capaz de decidir o que quer e o que considera melhor para si mesmo.

Autonomia na vida cotidiana do surdo.

A realidade vivenciada pelo surdo vem mudando nas últimas décadas. Agora, enfim, ele não aceita mais ficar nesse lugar de carente, dependente de familiares e amigos. Não quer ser percebido como alguém despreparado para a vida cotidiana. Simplesmente porque não é necessário que seja assim.

Dessa forma, os surdos brasileiros têm se esforçado para estudar e se preparar melhor para o mercado de trabalho. Como consequência, eles conquistaram o acesso ao mercado de consumo, com mais autonomia.

E, ao contrário do que muitas pessoas pensam, os surdos conseguem falar por si mesmos. E vem falando cada vez mais alto e com mais confiança. Eles reivindicam seu direito de opinar, de exprimir-se, de expressar suas vontades.

A falta de comunicação é a única barreira para que haja autonomia para os surdos.

Comunicar-se é a capacidade de estabelecer diálogos, de receber e transmitir informações. À sociedade cabe a obrigação de adaptar-se, para promover essa comunicação de forma acessível. Mesmo assim algumas pessoas persistem em achar que é o surdo quem deve se adaptar ao mundo dos ouvintes.

Todos sabemos que o cadeirante não é obrigado a construir a própria rampa. Nem o cego colocar pisos táteis nas calçadas. Assim sendo, também não é do surdo o dever de prover a sua plena acessibilidade. De levar intérpretes de libras onde precisa ir. A sociedade precisa entender a necessidade de incluir a todos com isonomia. Afinal, todos somos iguais perante a lei, em obrigações e direitos.

Por que os surdos se consideram aptos, autônomos?

O marco da autonomia dos surdos é o reconhecimento da sua língua. Atualmente a comunidade surda brasileira já pode comemorar essa conquista. Ela é recente. Somente em 2002 os surdos alcançaram essa vitória, aqui no Brasil.

Nos dias atuais o surdo está apto a exercer de forma plena, a sua cidadania. Sua única limitação é quanto ao acesso aos sons. Isso, óbvio, dificulta o acesso às informações. Logo, é à sociedade que cabe a remoção dessa barreira.

Para remover a barreira de comunicação basta que seja oferecido intérpretes de Libras, para aqueles surdos que são usuários dessa língua. Para os surdos que fazem leitura labial existem outras estratégias, como falar de frente e de forma bem articulada. Esses costumam ter melhor domínio do português escrito.

É isso que vai gerar a autonomia para os surdos.

Existem Tecnologias que ajudam na autonomia para os surdos.

Sabemos, entretanto, que não existem intérpretes de Libras suficientes para atender um número tão grande de surdos. Por outro lado, sabemos também que existem tecnologias assistivas. Elas permitem chamar esses profissionais, capazes de entender o que o surdo fala.

Do mesmo modo, eles podem traduzir ou interpretar o discurso de um surdo, para os que não dominam essa língua. É dessa forma que será Ampliado o alcance do atendimento adequado a esse público.

No Brasil as empresas já podem contratar esse tipo de serviço. Desse modo podem oferecer autonomia para seus empregados e clientes surdos. Procure saber mais sobre esse assunto.

E, agora que você já sabe um pouco mais sobre autonomia dos surdos, dê sua contribuição. Curta e compartilhe esse texto. Entre em contato com a SignumWeb para entender como podemos ajudar.

A SignumWeb criou a mascote LADIS. Ele significa Liberdade, Autonomia, Dignidade e Igualdade de condições para os Surdos. Isso resume tudo que acreditamos.

Nosso objetivo é ajudar a melhorar a comunicação entre surdos e ouvintes. E sabemos que somente com a sua preciosa ajuda, a comunidade surda será reconhecida e respeitada. Então, finalmente reafirmará a sua autonomia.

Posts relacionados

Deixe um comentário