Quando deve ser feito o teste auditivo nos colaboradores da sua empresa?

4 minutos para ler

Os empresários devem ter consciência de que é muito importante realizar o teste auditivo em seus colaboradores, especialmente se o ambiente da empresa expõe os empregados a ruídos altos e contínuos. Até porque, isso é previsto nas leis trabalhistas, conforme a Norma Regulamentadora 7, do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO).

É sabido que a exposição contínua a ruídos altos traz perda auditiva, zumbido, surdez súbita e demais problemas à saúde do trabalhador. Os funcionários que vivenciam esses problemas costumam apresentar mudanças comportamentais e cardiovasculares.

Logo, o exame precisa ser de qualidade e o resultado bem analisado para assegurar a saúde e produtividade dos empregados. Para saber mais, leia o artigo a seguir. Boa leitura!

Qual é a importância do teste auditivo?

Geralmente, as pessoas realizam check-ups cardiovasculares, oftalmológico, ginecológicos, porém não se lembram da audição —  sendo esse tão relevante quanto os demais. Por inúmeros motivos podemos ter perda auditiva gradativa e, com demora em serem percebidas, pode prejudicar a audição ainda mais, uma vez que o nervo auditivo fica comprometido.

Dessa maneira, o recomendado é que o trabalhador faça um teste auditivo pelo menos uma vez por ano. Se houver um problema de longo tempo, dependendo do caso, pode ser irreversível. Entretanto, se for diagnosticado no começo a solução é encontrada mais facilmente.

Como esse teste auditivo funciona?

A audiometria ocupacional necessita ser feita, principalmente, nos colaboradores que ficam expostos a altos ruídos cotidianamente. Por isso, o teste deve ser aplicado nos exames admissionais, uma vez por semestre (de acordo com a função) e no desligamento de funcionários.

O teste ajuda na prevenção de problemas auditivos ou mesmo do agravamento dessas situações. Entretanto cabe à empresa orientar os trabalhadores quanto aos cuidados preventivos e quantos aos sintomas da perda de audição.

A medicina do trabalho tem a obrigação de analisar as condições laborais, bem como fazer o mapa de riscos ocupacionais que os empregados estão expostos. Desse modo, implementar mudanças para evitar que a atividade atinja a capacidade auditiva máxima dos funcionários.

Quais são os tipos de audiometria ocupacional?

O teste auditivo é feito dentro de uma cabine em que o paciente usa fones de ouvidos para identificar e ouvir diversos tipos de sons. No entanto, há duas maneiras de fazer a audiometria que dependerá da solicitação do médico: a tonal e a vocal. A primeira, avalia a capacidade auditiva pelos estímulos acústicos ao perceber um som, dessa forma, ele acena quando ouvir algo. Na segunda, são apresentados palavras e fonemas que ele deverá repetir.

Por fim, um profissional clínico emitirá um laudo com os resultados, recomendando o uso de aparelhos auditivos, protetores auriculares, mudança de função no trabalho, quando necessário.

Agora você já sabe que o teste auditivo é de suma importância para acompanhar a capacidade auditiva dos seus funcionários e que esse teste deve ser realizado por um especialista capacitado para que a medicina do trabalho tome as devidas providências em relação à saúde dos trabalhadores e medidas preventivas.

Como a empresa deve lidar com o funcionário ou cliente surdo ?

Uma vez diagnosticado que existem, no quadro da empresa, funcionários com perda auditiva é necessário que a empresa adéque seu ambiente e sistema de trabalho para atender esse público interno.

Pensando no bem estar dos empregados é necessário que a empresa dê suporte psicológico para que eles possam entender e encontrar caminhos para essa situação em suas vidas. Outra orientação importante é que seja analisada a possibilidade de investir na Língua Brasileira de sinais.

É possível promover cursos de Libras para que os colaboradores ouvintes se comuniquem com os surdos, Onde há sinais sonoros é interessante que eles sejam acompanhados de sinais luminosos que sirvam de alertas para os surdos. Use celulares ou outros dispositivos para enviar e receber mensagens escritas para surdos oralizados, ou aqueles que têm um bom domínio do português.

Além disso, invista em uma plataforma de comunicação por videoconferência que disponibiliza intérpretes profissionais da língua de sinais sempre que houver necessidade, seja na entrevista de admissão, numa reunião de treinamento ou no momento da dispensa.

Além de tudo isso é interessante pensar em estratégias para acolher adequadamente também seu público consumidor externo que tenha esse tipo de deficiência.

Quer ficar sempre por dentro das novidades? Siga-nos em nossas páginas do Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube.

Posts relacionados

Deixe um comentário