Qual a diferença entre igualdade e equidade?

4 minutos para ler

Será que existe diferença entre igualdade e equidade? Convido você a pensar comigo nesses dois importantes conceitos, que muitos entendem como sinônimos. Neste contexto consideraremos a situação das pessoas com deficiência.

Certamente é preciso reconhecer que já foram dados passos importantes na construção de um mundo mais igualitário para esses cidadãos. Contudo o desafio agora é que ele seja mais equitativo.

Provavelmente você concorda que ainda precisamos avançar muito.  Especialmente quando falamos de justiça social. Para que isso seja realidade na sociedade, precisamos repensar nossos conceitos e preconceitos.

Inicialmente é preciso reconhecer que já existem movimentos que buscam a construção de um mundo melhor para todos. Isso é inegável. Ficamos muito felizes ao identificar que o mundo está mudando e a cada dia mais pessoas estão preocupadas em gerar acessibilidade para pessoas com deficiência. Contudo sabemos que ainda temos um logo caminho pela frente.

Mas afinal, o que queremos é igualdade ou equidade?

Por tudo isso faz-se necessário o esclarecimento, o entendimento desses dois conceitos, a fim de que os apliquemos corretamente.

O que é Igualdade

O dicionário nos informa que igualdade é o “fato de não se apresentar diferença de qualidade ou valor, ou de, numa comparação, mostrarem-se as mesmas proporções, dimensões, naturezas, aparências, intensidades; uniformidade; paridade; estabilidade”.

Em suma, na Igualdade procuramos eliminar a diferença, tornando todos iguais.

Com relação aos direitos humanos por exemplo, desejamos colocar as pessoas no mesmo nível. Dessa forma, numa comparação, os direitos se apresentam nas mesmas proporções, nas mesmas dimensões para todos. Entretanto é preciso refletir como isso seria possível, dado que as necessidades são diferentes.

O que é Equidade

Com relação à equidade encontramos que ela “consiste na adaptação da regra existente à situação concreta, observando-se os critérios de justiça. Pode-se dizer, então, que a equidade adapta a regra a um caso específico, a fim de deixá-la mais justa”.

É importante observar que aqui entraram os critérios de justiça. O objetivo é tratar os direitos das pessoas respeitando as suas especificidades, as suas diferentes necessidades. Somente dessa forma haverá justiça de verdade.

Então podemos dizer que ao oferecer condição de equidade entregamos direitos e condições de maneira justa. Em outras palavras, é aplicando o conceito de equidade que serão geradas oportunidades semelhantes.

Para exemplificar, convido a pensar em vagas especiais para PCDs nas empresas. Elas são necessárias para oferecer condições de trabalho para essas pessoas. Em outras condições elas não seriam vistas como uma opção de contratação. Essa legislação veio para gerar oportunidades que antes não havia.

Mas como estamos falando da diferença entre igualdade e equidade, identificamos uma gritante discrepância. Isso porque tanto em empresas particulares quanto em concursos públicos, acabam oferecendo as mesmas vagas para portador de qualquer tipo de deficiência. Enfim, colocam todos no mesmo pacote.

Neste momento identificamos a aplicação do conceito da igualdade. Porém defendemos que o ideal seria que as vagas fossem oferecidas com equidade.  Dessa forma haveria oferta de vagas distintas, de acordo com o tipo de limitação dos candidatos.

Outro fato a se repensar é com relação ao acesso ao conhecimento. Afinal, com relação à facilidade de aprendizagem, em que um cadeirante difere de uma pessoa que não é cadeirante? Nesse caso o que se deve reivindicar é acessibilidade arquitetônica. Aliás, essa é uma demanda muito justa.

Mesmo dentro de uma mesma deficiência é preciso questionar. Por exemplo, em que medida a necessidade de um surdo profundo usuário de Libras difere de um surdo oralizado que adquiriu a surdez tardiamente, após o domínio da língua portuguesa? Como colocar uma pessoa de baixa visão concorrendo com um cego profundo?

No conceito de equidade está implícito a possibilidade de oferecer condições diferentes, para que de fato possamos falar em igualdade de oportunidades.

Pensando na diferença entre igualdade e equidade

A SignumWeb resolveu pensar nesse assunto. E isso nos levou a repensar no nosso mascote LADIS. A sigla foi pensada para defender Liberdade, Autonomia, Dignidade e Igualdade para os Surdos.

Porém decidimos fazer uma pesquisa para ver a possibilidade de chamá-lo de LADES.  Isso personificará nossa luta por Liberdade, Autonomia, Dignidade e Equidade para os Surdos

Que você achou dessa alteração? Queremos ouvir a sua opinião.

Contamos com a sua generosidade para comentar e compartilhar o post.

Posts relacionados

Deixe um comentário