Os surdos no cotidiano: um público consumidor "invisível" Os surdos no cotidiano: um público consumidor "invisível"

Os surdos no cotidiano: um público consumidor “invisível”

3 minutos para ler

Os surdos no cotidiano: um público consumidor "invisível"

Sempre que perguntamos a uma empresa como ela faz para atender o cliente surdo, a reação é a mesma. Primeiro vem a surpresa, uma rápida reflexão e a resposta: ele sempre vem acompanhado, não é? Na verdade, nunca tinham pensado no assunto. Sim, porque quando os surdos chegam acompanhados, eles se tornam “invisíveis”.

Os surdos no cotidiano: um público consumidor "invisível"
Imagem: Creative Commons

A pessoa que atenderia o surdo invariavelmente se dirige para o acompanhante ouvinte e pergunta: “- O que ele precisa?”. Mas a realidade vem mudando rapidamente, só que o mercado ainda não percebeu. E não, ele agora não quer e nem precisa ir acompanhado. Pelo contrário, ele deseja o que chamamos de LADIS: Liberdade, Autonomia, Dignidade e Igualdade para os Surdos. O surdo profundo, usuário de LIBRAS, por exemplo, ganhou direito ao livre trânsito. Quando conquistou escolaridade, quando conquistou acesso ao mercado de trabalho.

Nossa luta é pela conscientização, pela sensibilização do mercado a essa nova realidade. Acolham os surdos e não os seus possíveis acompanhantes. Não os ignore, não se sinta desconfortável por desconhecer a sua língua. Não queira se livrar rapidamente do incômodo provocado por aqueles “estrangeiros” que não falam o português e com quem você não consegue se comunicar. Afinal, agora já existem ferramentas tecnológicas para ajudá-lo a superar essa barreira.

Acessibilidade comunicativa para os surdos

Funciona assim: quando o surdo chegar em um hospital, num banco, num escritório de advocacia, numa loja comercial… O atendente não precisa mais se remexer desconfortavelmente, se perguntando como fará para se comunicar com esse consumidor. Basta que libere um sorriso acolhedor, como fazem quando o cliente é ouvinte. E sinalizar que precisa apenas de um minuto para chamar o intérprete virtualmente, pela plataforma SignumWeb.

Com um simples click no computador, tablet ou smartphone, o intérprete entrará intermediando a conversação, de forma que a comunicação flua naturalmente. Você só precisa de uma webcam e de boa qualidade de internet. O atendente oferecerá um atendimento completo e o cliente sairá satisfeito, contando para familiares e amigos que encontrou uma empresa acessível. Uma empresa que trata o surdo com respeito.

Afinal, o grande diferencial de uma empresa na atualidade é o bom atendimento, a experiência positiva do cliente, o quanto ela oferece de acolhimento. Responsabilidade social, respeito à diversidade, inclusão e acessibilidade são fatores que fortalecem a imagem da sua empresa e  rendem lucros.

Nesse caso, rende fidelização de 10 milhões de consumidores, 2,7 milhões só entre os surdos profundos, usuários de Libras. Rende também a fidelização de seus familiares e simpatizantes da sua causa.

O lema da SignumWeb é: por um mercado que atenda bem TODOS os seus clientes!

Posts relacionados

2 comentários em “Os surdos no cotidiano: um público consumidor “invisível”

Deixe um comentário