O surdo fala

5 minutos para ler

Sabia que o surdo fala? É muito comum ouvirmos pessoas se referindo ao surdo usando a expressão surdo-mudo.  Precisamos refletir sobre isso.

O termo mudo se refere à incapacidade que o ser humano tem de produzir sons.  A maioria dos surdos, entretanto, tem as cordas vocais e todo o seu aparelho fonador composto por pulmão, traqueia, laringe, lábios, dentes e língua, em perfeitas condições de uso.

Nosso objetivo, neste post é levar o leitor a compreender melhor esse assunto, ampliando a sua percepção, de modo que seja esclarecido e superado de uma vez por todas essa ideia preconcebida de que os surdos não falam

Será que os surdos são capazes de produzir sons?  Continue lendo, para entender melhor.

Por que é possível o surdo falar?

Para entendermos que o surdo fala, precisamos compreender a distinção entre falar e emitir sons inteligíveis. Essa confusão conceitual não se dá de forma automática, porque já estamos condicionados a pensar que são a mesma coisa.

Recorrendo ao dicionário, veremos que falar significa se expressar através da palavra, discorrer, conversar, contar algo a alguém. A mudez também pode ser entendida como incapacidade de produzir um discurso ou de emitir opinião em determinadas circunstâncias. Todas essas coisas o surdo pode fazer.

Essa confusão acontece porque, no senso comum, as pessoas acham que falar em libras é somente sinalizar. Isso revela um  preconceito linguístico que precisa ser combatido, superado.

Outro detalhe importante a ser esclarecido é que a fala do surdo não é limitada. Ele pode interagir e discorrer sobre absolutamente tudo, desde que não lhe tenha sido negado o acesso à informação.

Os surdos emitem os sons da fala

Às vezes causa estranheza ouvir um surdo falando, principalmente aqueles que tem mais dificuldade de oralizar. Isso atrai olhares curiosos e constrangedores porque a voz realmente soa diferente.

O que acontece é que os surdos não recebem retorno da sua fala, ficando difícil modular a voz conforme nossos próprios ouvidos estão acostumados.

Contudo, se a pessoa já convive com esse sujeito há um bom tempo, começará a se familiarizar e a entender os sons produzidos. Assim as trocas comunicativas fluirão de forma mais natural.

A boa vontade do interlocutor de entender o que o surdo falou, já figurará como derrubada do preconceito atitudinal, principal vilão dessa história. Mas parece que a maioria das pessoas simplesmente desistem, seja por medo ou por vergonha de não conseguir se comunicar de forma adequada com um surdo.

Existem surdos que oralizam de forma perfeita.

Algumas pessoas não sabem, mas a maioria dos surdos brasileiros é oralizada. Dos dez milhões de surdos que passaram pelo censo do IBGE (2010), somente cerca de 3 milhões seriam surdos profundos, potenciais usuários de Libras.

Assim, para contribuir com a disseminação de informações corretas, precisamos esclarecer que existe uma pluralidade de níveis de perda auditiva e de momentos em que a surdez foi adquirida, ao longo da vida. Isso determinará também a qualidade da voz emitida pelo sujeito surdo e de como será a comunicação com os ouvintes.

É importante entender o surdo não é um ser doente. Ele tem uma limitação sensorial que não o impede de falar. Com as necessárias adaptações o surdo pode fazer qualquer coisa que um ouvinte, exceto ouvir, obviamente.

O corpo fala

Além de tudo que falamos é preciso lembrar que nós não usamos exclusivamente o aparelho fonador para falar. Na verdade, utilizamos todo o nosso corpo quando nos expressamos.

Um olhar fala muito, uma sobrancelha arqueada comunica muita coisa, um aceno com as mãos pode ser um grito de socorro, uma lágrima silenciosa revela muito do que estamos sentindo ou pensando, não é mesmo?

Nesse sentido o surdo é muito mais preparado que o ouvinte para “ouvir” o que o corpo fala. Afinal, sua percepção visual é mais sensível que o da maioria de nós. O mundo silencioso tem lá as suas vantagens.

Existem Tecnologias que ajudam na intermediação comunicativa

A tecnologia chegou para ajudar, para construir pontes, para romper barreiras. Certamente convém usá-la em benefício dos surdos. Existem tecnologias assistivas onde é possível chamar profissionais, intérpretes de Libras capazes de entender o que o surdo fala e traduzir o conteúdo para os que não dominam essa língua. Procure saber sobre esse assunto.

Precisamos disseminar informações corretas sobre o surdo e a surdez.  Agora que você já sabe, dê sua preciosa contribuição. Curta e compartilhe esse texto. Com a sua preciosa ajuda a comunidade surda será reconhecida e respeitada.

Entre em contato com a SignumWeb para entender como podemos contribuir para melhorar a comunicação entre surdos e ouvintes.

Posts relacionados

Um comentário em “O surdo fala

Deixe um comentário