Homenagem às mães de filho com deficiência

5 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Esse post é direcionado para todas as mães, em especial para as mães de filho com deficiência, aquelas que vivem a experiência de ter um filho surdo por exemplo. Seria legal poder dizer que tudo se resolve e que enfrentarão facilmente as barreiras que a vida reserva, mas não funciona bem assim. A boa notícia é que é possível a superação dos obstáculos e que poderão sim, serem ambos felizes num mundo de possibilidades que podem construir juntos.

Mensagem de otimismo para as mães de filho com deficiência

Apesar de saber que as lágrimas são inevitáveis quando, por exemplo, uma mãe ouvinte descobre que seu filho é surdo, a mensagem é de otimismo, com o foco desviado das limitações e a ampliação da visão das possibilidades. O mundo não pode nem consegue determinar qual futuro está reservado para uma criança com deficiência, cuja mãe está disposta a investir no filho. E mais uma história de superação certamente estará escrita.

No Brasil o dia das mães é comemorado no segundo domingo de maio. No mundo essa data varia de país para país, mas em todos eles os sentimentos evocados são os mesmos: amor, ternura e gratidão. As homenagens são lindas, em geral envolvendo presentes, doces, flores e palavras emocionantes. 

Mas… e a mãe ouvinte, de uma criança surda, que às vezes não consegue expressar seus sentimentos numa língua que ambos compartilham?

Muitos concordarão que uma mulher já nasce um pouquinho mãe, por sua capacidade de procriar e muitas mães concordarão que a maior emoção experimentada na vida é o nascimento de um filho. Esse filho sempre nasce lindo, perfeito como nos sonhos de menina, quando ainda acalentava bonecas.  É uma entrega total, incondicional. Então o lindo bebê nasce com uma deficiência ou, como nesse caso, contrai uma meningite e perde a audição.  

A mulher já nasce um pouquinho mãe

Muitos concordarão que uma mulher já nasce um pouquinho mãe, por sua capacidade de procriar e muitas mães concordarão que a maior emoção experimentada na vida é o nascimento de um filho. Esse filho sempre nasce lindo, perfeito como nos sonhos de menina, quando ainda acalentava bonecas.  É uma entrega total, incondicional. Então o lindo bebê nasce com uma deficiência ou, como nesse caso, contrai uma meningite e perde a audição.  

É inadmissível para uma mãe, receber o diagnóstico de uma deficiência ou de uma doença grave, que poderá deixar o seu filho com uma sequela. Eis um momento em que o seu mundo desmorona. O que a mãe deseja, nessa hora, é negar a realidade ou sofrer a dor no lugar do seu filho.

Terceiros não podem dimensionar a situação. O médico, por exemplo, por mais cuidadoso que seja, dá o diagnóstico desconhecendo as emoções que suscitará na sonhadora mãe. É como se o médico dissesse que o filho dos sonhos morreu e em seu lugar tivesse nascido aquele que não responde aos estímulos sonoros, que não emitirá o doce som da palavra mamãe, não cantará as musiquinhas que todas as crianças escutam de suas mães nos primeiros anos de vida. Procurar o manual de instruções, buscar explicação dos especialistas, será a sua rotina.

Mas a história não precisa ser tão triste. Dizem que onde nasce um filho, nasce também uma mãe. E essa criatura é mágica e tem o poder de se reinventar. Com muito amor e dedicação e com uma pitadinha de criatividade, a mãe precisa suprir o que os profissionais não darão conta de fazer.

Um filho surdo

O Felipe Barros, por exemplo, é o filho surdo de uma mãe ouvinte.  Já enfrentou diversas barreiras na vida, mas também, para orgulho da sua mãe, já recebeu diversos prêmios em reconhecimento ao seu trabalho na startup SignumWeb, inclusive o Prêmio Empresa Inclusiva do Governo do Estado de Minas Gerais, em 2018. Ele e sua mãe gostam de dizer que abraçaram como missão de vida a promoção da acessibilidade comunicativa para surdos e que querem ser inspiração para que outras mães e outros surdos entendam o sentido mágico da palavra superação.

Sabemos que muitas pessoas surdas são oralizadas, mas hoje as mães ouvintes de filhos surdos, usuários da Língua Brasileira de Sinais, também poderão ouvir, na língua produzida pelas mãos de seus filhos e de forma linda e significativa, a frase: EU TE AMO MAMÃE!

Posts relacionados

Deixe um comentário