Surdos e ouvintes: o papel do intérprete de LIBRAS Surdos e ouvintes: o papel do intérprete de LIBRAS

Surdos e ouvintes: o papel do intérprete de Libras

4 minutos para ler
Powered by Rock Convert

O intérprete de Libras não está a serviço apenas da comunidade surda. Parece estranho? Mas é isso mesmo! Como ele atua entre a Língua Brasileira de Sinais e o português, acaba servindo às duas partes. Concorda? Agora fez sentido!

Surdos e ouvintes: o papel do intérprete de LIBRAS

A necessidade de se comunicar

Segundo dados do IBGE, existem no Brasil cerca de 2,7 milhões de surdos profundos. Essas pessoas não falam o português, porém se comunicam usando a língua de sinais. Comparado com a população geral brasileira, o surdo é minoria. Por isso, as pessoas tendem a pensar que a necessidade de se comunicar é apenas dele.

Imagina só um deficiente auditivo como consumidor? Aqui, é de interesse total da empresa se comunicar com ele. Pense também em um porta voz de uma multinacional surdo… Neste caso, é necessário que os funcionários da organização o entendam também.

Portanto, a necessidade de comunicação e também da presença do intérprete de Libras é do surdo e é também do ouvinte, quando ele precisa falar com o surdo.

O intérprete de Libras

Que tal pensarmos melhor sobre as nossas necessidades de comunicação? E mais, sobre a importância do intérprete na vida das duas partes? Se você adoecer em um país onde não domina a língua, certamente precisará de um intérprete. Pense no surdo como um estrangeiro em seu próprio país, já que ele não domina o português…

Esse profissional está mais do que à serviço dos deficientes auditivos. Seu papel é intermediar comunicação e promover acessibilidade entre surdos e ouvintes e entre ouvintes e surdos! O intérprete se diversifica em sua atuação nos mais variados contextos. Ele pode atuar desde salas de aulas à entrevistas de emprego ou consultas médicas. Isso envolve uma alta sensibilidade e uma relação de muita proximidade com as partes.

Pela complexidade e multiplicidade dentro da comunidade surda, é importante que, na hora de escolher estratégias de interpretação, você conte com profissionais qualificados que vão entender desse universo. Para isso, é necessário que o intérprete tenha uma formação específica. Não é possível dominar uma língua com algumas semanas ou mesmo alguns meses de treinamento, como algumas empresas buscam fazer, na tentativa de solucionar a questão.

Aqueles que pensam que basta saber os sinais para intermediar uma comunicação entre surdos e ouvintes não entendem toda a complexidade da estrutura da língua de sinais. O profissional que atua com essa missão merece mais reconhecimento. E precisa deter do mesmo status e salário daqueles que atuam na tradução entre línguas orais!

Mais do que necessidade. É cumprimento da lei!

Um grande exemplo que se torna mais do que uma necessidade, e sim uma obrigação legal, é em relação à educação. As instituições federais de ensino, de educação básica e superior, devem proporcionar aos alunos surdos os serviços de tradutor e intérprete de Libras.

E as empresas públicas e concessionárias de serviços públicos no Brasil também estão sujeitas a multas caso não promovam acessibilidade comunicativa para seu público surdo. As empresas privadas devem implementar medidas nesse sentido.

No relacionamento entre surdos e ouvintes que não dominam Libras, sempre que surge a necessidade de comunicação, é essencial a presença desse intérpretes.

Esperamos ter esclarecido boa parte do papel do intérprete na vida de um surdo e o quanto ele é importante na resolução do problema de comunicação entre surdos e ouvintes. A SignumWeb oferece esse serviço em tempo real com intérpretes virtuais. Confira!

Posts relacionados

Um comentário em “Surdos e ouvintes: o papel do intérprete de Libras

Deixe um comentário