Entrevista: Tales Douglas - comediante e ator surdo Entrevista: Tales Douglas - comediante e ator surdo

Entrevista: Tales Douglas – comediante e ator surdo

6 minutos para ler

O ator surdo e comediante Tales Douglas Moreira Nogueira apresenta há muitos anos seu stand-up comedy, que relata suas experiências e trapalhadas envolvendo a surdez. “O sangue de comédia surda na minha veia” é o seu lema. Diversão garantida em seus shows e peças! Natural de Nova Lima – MG, com três graduações e oralizado, ele também é professor de Libras – Língua Brasileira de Sinais. Conversamos com Tales Douglas e trazemos a entrevista na íntegra. Confira!

Entrevista: Tales Douglas - comediante e ator surdo1- Conte um pouco da sua história. Como descobriu a surdez, como sua família lidou com isso, quais barreiras teve que enfrentar?

Meu nome é Tales Douglas. Nasci na cidade maravilhosa e tão natural Nova Lima, na região metropolitana de Minas Gerais. Estou com 38 anos de idade. A resposta vinda de minha mãe revela que nasci ouvinte, depois perdi a audição aos 2 anos, devido à doença de pneumonia causada pelo efeito muito forte de um remédio que hoje a lei proíbe o uso para os bebês.

2- Você utiliza aparelhos auditivos? Fale mais sobre isso.

Já usei aparelhos auditivos. Eles têm que me possibilitar ouvir os ruídos, mas é impossível eu escutar, pois com certeza há diferença entre escutar e ouvir. O verbo ouvir é aquilo que o ouvido capta quando o barulho surge. Mas o verbo escutar é entender, compreender de forma reconhecida o que está sendo captado pelo ouvido. Por isso, ao usar os aparelhos auditivos, ouvi alguns ruídos. Mas o motivo pelo qual parei de usá-los foi arcar com os gastos referentes ao uso necessário de baterias para o funcionamento.

3- Você é oralizado, mas sempre usa Libras para se comunicar. Por quê?

Sou oralizado e sinalizado, ou seja, usuário da Libras para comunicar com surdos. No entanto, tenho as duas culturas porque a primeira é usar leitura labial para comunicar com ouvintes, e a segunda é ao usar minhas mãos para comunicar com os surdos. Mas prefiro SER O SINALIZADO, como fosse minha língua natural, para comunicar com o mundo dos surdos.

4- Além de ator surdo, sabemos que você fez três cursos superiores. Parabéns! O que acha da formação educacional do surdo no Brasil?

Sim, fiz três cursos superiores: Letras, Ciências Contábeis e Docência e Gestão do Ensino Superior. O objetivo de eu fazer esses cursos é desenvolver e crescer a riqueza do conhecimento, que faz com que minha maturidade cresça cada vez mais. E que a sociedade acredite que os surdos são capazes de fazer como os ouvintes. Mas me importo com a formação educacional dos surdos no Brasil. A formação acadêmica tem como objetivo os surdos adotarem dos conhecimentos práticos para os exercícios de competências e habilidades gerais. Com certeza, a sociedade ouvintista vai reconhecer a formação acadêmica superior dos surdos nas áreas. Pensamos que, sendo reconhecidos como cidadãos, teríamos direito garantido à educação e formação acadêmica superior. Assim, o significado do verbo “educar” é levar o conhecimento e olhar para o mundo do conhecimento.

5- Fale sobre sua atuação como ator surdo no stand-up comedy. Como é a comunicação com as pessoas durante suas apresentações? Existe alguma adaptação; precisa de intérpretes de Libras?

Minha performance é essencialmente o stand-up comedy, porque todo mundo me chama de engraçado e sou do estilo cômico. Depende dos espectadores, se eles sabem Libras ou não. Se os espectadores não sabem, preciso de um intérprete de Libras por uma necessidade humana dos ouvintes.

6- Já vivenciou alguma situação constrangedora ou engraçada por não conseguir entender muito bem o que a outra pessoa falou?

Já vivenciei várias situações constrangedoras e engraçadas, mas uma mais engraçada mostra que, um dia, minha esposa Camila e eu visitávamos a família dos meus sogros e a tia de minha esposa. Conversei com todos. Mas eu ficava muito cansado. Enquanto a tia olhava nos meus olhos, eu pensava que ela teria algumas coisas para conversar comigo. E ela perguntou se fiquei cansado como se eu entendesse isso, porque vi os movimentos da boca dela pronunciando “cansado”. E respondi que estava mais ou menos. Mas a minha sogra ficou um pouco chocada com essa situação e fez o gesto de casado. E, de repente, fiquei constrangido porque percebi os movimentos da boca da tia, parecendo a pronúncia idêntica, falando na verdade “casado”.

7- Surdos oralizados normalmente têm maior facilidade de lidar com o português escrito. Mas existem surdos que não têm essa facilidade. Qual a importância de o surdo dominar o português escrito?

Depende de características determinantes da identidade surda, porque algumas pessoas que ficam surdas aos 15 anos têm facilidade e domínio do português. Por isso, elas têm a identidade surda HÍBRIDA. Também depende do incentivo feito pelos pais para desenvolver aprendizagem e escrever bem. Mas existem surdos que têm dificuldades em compreender o português. Não se pode pensar que os surdos nunca gostam de estudar. Na verdade, os surdos têm o problema cognitivo chamado de atraso cognitivo – e nenhum problema mental. Assumo que tenho certa dificuldade sim, mas sempre me esforço muito.

8- Quais as dificuldades que você imagina que o surdo profundo enfrenta nos diversos lugares como hospitais, bancos, comércio, etc.?

O maior problema é principalmente a falta de acessibilidade comunicacional nos hospitais, farmácias e bancos. A maioria dos surdos comenta comigo e enfrenta essa dificuldade, que é falta de respeito com os nossos direitos.

9- A SignumWeb é uma plataforma de videoconferência desenvolvida por um surdo. O que você achou dessa ferramenta de acessibilidade?

Sem dúvida, a SignumWeb é muito importante para a comunidade surda conseguir acessibilidade em qualquer lugar que precisar. Essa tecnologia tem facilidade de promover a comunicação entre surdos e ouvintes. A lei 10.098 ressalta que nós surdos temos direito à acessibilidade comunicacional em qualquer lugar. Por isso, as empresas brasileiras devem cumprir o direito de todos os surdos à acessibilidade como condição e necessidade humana.

10- Qual mensagem você gostaria de deixar para os surdos brasileiros?

Os surdos devem conhecer bem as leis para exigir da sociedade a aceitação e o respeito pela Libras! E pelo direito deles à acessibilidade como necessidade humana. Também pela legitimidade do orgulho de ser surdo.

Acessibilidade comunicativa – SignumWeb

Conheça a SignumWeb você também! Oferecemos o serviço de intérprete virtual em tempo real. Confira!

Posts relacionados

Um comentário em “Entrevista: Tales Douglas – comediante e ator surdo

  1. Gostei da entrevista !!! Já assisti ao Stand Up Comedy com Tales Douglas e é espetacular ! Igual a Signumweb ! 💜💜💜💜💜💜💜💜

Deixe um comentário