Para o aluno surdo… Uma prova em braille??? Como assim?

Para o aluno surdo... Uma prova em braille??? Como assim?

É sabido que os surdos passam por várias experiências frustrantes ao longo da vida. Várias dificuldades, várias portas fechadas, vários fatos que apontam para o mais absoluto descaso da sociedade. Entretanto, é necessário reconhecer que essa realidade vem mudando no Brasil. Para o aluno surdo… Uma prova em braille??? Como assim?

Algumas importantes vitórias já foram alcançadas e devem ser muito comemoradas, como o fato de que LIBRAS – a Língua Brasileira de Sinais já é uma língua oficial no nosso país. Isso, somado à obrigatoriedade da presença de intérpretes na sala de aula, têm garantido que os surdos cheguem às universidades, conquistando a sua sonhada graduação. Lidar com as pequenas e grandes dificuldades do dia a dia faz parte da rotina desse sujeito, mas a persistência e o desejo de superação também são constantes.

Trilhar a formação acadêmica sem desistir, até passar no ENEM, entrar para uma faculdade, concluir o curso e entrar no mercado de trabalho, por exemplo, são grandes desafios. É frustrante não encontrar o nome da lista dos aprovados! Muito frustrante e paradoxalmente engraçada foi a história que aconteceu em 2004 com um surdo, em Belo Horizonte. Ele fez a inscrição para o vestibular de uma determinada faculdade mineira, informou a condição de surdo, porque já era direito adquirido a presença de intérprete de LIBRAS, na sala de aula, para ajudar na compreensão do enunciado das questões.

No dia da prova, uma surpresa! Chegando na faculdade, confiante que daquela vez conseguiria passar, foi recebido por uma simpática coordenadora. Ela informou alegremente que estava tudo preparado, que haviam disponibilizado a prova em braille para o aluno. A primeira reação foi de raiva e revolta, mas depois chegou a ser engraçado. A faculdade gastou tempo e dinheiro para produzir uma prova em braille para um aluno surdo! Impressionante a ignorância das pessoas, para não dizer que foi descaso.

Como puderam ler “surdez” e investir muito, muito dinheiro para fazer a adaptação da prova para um cego? Sim, porque realmente não é barato. Consequência disso, não haviam disponibilizado intérpretes de LIBRAS e o aluno não pôde realizar a prova. Foi informado que agendariam a prova para que ele fizesse em outra data, mas o surdo rejeitou o convite. Aquela faculdade já não mais interessava.

Ainda hoje, com toda visibilidade que o surdo vem alcançando, falta muita informação, muita orientação. O tema da redação da prova do ENEM em 2017, por exemplo, provocou as mais diversas reações, tanto positivas quanto negativas. O resultado foi um dos piores já registrados, pois os alunos ouvintes não sabiam discorrer sobre “Os Desafios para a Formação Educacional de Surdos no Brasil”. Ficou o lucro da visibilidade que o assuntou provocou.

Depois disso, provavelmente nenhuma outra universidade gastaria tempo e dinheiro para preparar uma prova em braille para um aluno surdo. A SignumWeb tem procurado produzir textos esclarecedores sobre esse tema, na esperança de que o surdo seja acolhido e respeitado em sua diversidade.

É nossa missão contribuir para que o mundo seja mais inclusivo para os surdos! Vamos juntos?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *