Os surdos no cotidiano: um público consumidor “invisível”